Carta para meu amor

carta para meu amor

Logo quando acordo já me pego pensando em você; olho para sua foto e imagino você bem coladinha comigo. Trago na minha lembrança todos os momentos que já passamos juntos. Não me arrependo de nenhum deles. Às vezes fico assustado, pois nunca imaginei que eu viveria feliz desse jeito. Não acreditava que houvesse condições de ficar sem brigar com alguém. É nós até brigamos, mas elas são tão pequenas que nem entram na minha memória.

A cada hora que se passa meu coração deseja ardentemente vê-la. Conto ansioso os segundos, imploro-os para que eles parem de andar e passem a voar. A solidão maltrata qualquer coração quando se ama. Preciso ver você!

Tenho uma esperança em meio a essa angústia. Logo a verei. Hoje já não consigo cumprir o combinado de nos vermos somente de vez em quando. Não sou forte o suficiente para não quebrar essa proposta. Não tem como! Aprendi que quando amamos, desejamos estar perto do outro o tempo todo.

É, acho que estou te amando. Mas desejo amar muito mais. Sei eu conseguir, expressarei meu amor com palavras e atitudes e você será a mulher mais feliz do mundo.

Amor, vem logo para perto de mim. Hoje quero amá-la mais que ontem e menos que amanhã. Estou te esperando. Vem!

Cleiton Carvalho

Anúncios

14710_10206032014737434_7906887829301792004_n

Naquela época não tinha foto como hoje, celular nem sonhava ter, então eu desenhava você na minha mente para vê-la sempre que tivesse saudade. Eu a via todo tempo, pois longe de você a saudade não se esconde!

Você e a peça que faltava para completar meu coração

11027939_10205948472128921_9138317366157959992_n

Desde pequeno aprendi em casa e na escola que o coração é essencial para vida do ser humano. A ciência estuda-o com maior afinco. Mas eu era criança não me importava com nada disso, eu só queria brincar. Para mim era apenas um desenho estranho pintado de cor vermelha.

Quando cresci, conheci outro sentimento que na minha infância era obscuro. Foi naturalmente. Falavam-me dele, mas não se aprende até que o experimente. Era o tal do amor. Foi-me apresentado na escola quando, pela primeira vez, avistei uma bela menina. Ela era tão linda, sorriso encantador, jeitinho meigo, cabelos longos, sua franja caia pelo monumento do seu rosto. Ela era incrível! Pense em mim todo bobo. Eu só falava nela, queria vê-la a todo minuto, onde ela ia eu já estava lá. Naquela época não tinha foto como hoje, celular nem sonhava ter, então eu desenhava-a na minha mente para vê-la sempre que tivesse saudade. Eu a via todo tempo, pois longe dela saudade não se esconde. Quando ia dormir, ficava pensando nela, um filme de todos os momentos passava na minha cabeça.

Contei para meus amigos, eles disseram que eu estava apaixonado e que o cupido acertou meu coração. Ops, calma aí! Como assim coração? Acertou o quê? Não, se isso tivesse acontecido eu teria morrido. Falaram: Você está morrendo de amor, vemos isso no seu rosto. Que confusão!
Aos poucos comecei a entender essa hipérbole. Percebi que o coração fazia parte de um mundo de sentimentos. Ele é importante nesse reino. Agora podia dizer que estava amando, eu não apenas tinha experimentado com ainda continuava experimentar e a Marjorie era o motivo disso.

E agora? Estou amando. O que fazer? Eu tinha que falar isso para ela. Sinceramente não sabia o que dizer. Que medo! Era minha primeira vez. Então tive uma brilhante ideia. Desenhei um coração, forma de quebra-cabeça faltando uma peça. No outro dia quando cheguei à escola, eu a procurei e disse: Marjorie posso falar com você? Ela como sempre simpática, disse: Claro! Então entreguei o coração. Ela não entendeu nada. O que significa? É meu coração e a peça que faltava é você. Aceita namorar comigo? Ela ficou pasma, gelada, sem palavras e mudou de cor. Você me surpreendeu, nunca me senti assim. Que linda declaração de amor. Eu aceito completar seu coração.

Texto: Cleiton Carvalho
Correção: Fredson Gouveya​